Notícias e Releases

Navegação de categorias

Publicador de Conteúdos e Mídias

angle-left Por que o CTL é mais sustentável para a colheita florestal?
Voltar para

Por que o CTL é mais sustentável para a colheita florestal?

Conhecido como sistema de toras curtas, ele processa a madeira dentro da floresta, com menos impacto ao meio ambiente, com rentabilidade e maior segurança operacional

 

Abrangendo cerca de dois terços de toda a colheita florestal do mundo, o sistema CTL, sigla em inglês para Cut-To-Length, é considerado o mais sustentável, reduzindo o impacto ao meio ambiente e trazendo mais competitividade ao negócio. Em comparação com o método Full Tree, por exemplo, que necessita de ao menos 3 equipamentos, o CTL utiliza apenas duas máquinas e processa a madeira dentro da floresta, já separando os sortimentos de tora de acordo com a necessidade de cada cliente. Entre os benefícios do CTL, é possível citar o alto rendimento, máximo aproveitamento da madeira, é mais confortável e seguro para trabalhar, otimiza resultados e deixa melhores condições no campo após a colheita.

 

Também conhecido como método de toras curtas, no Brasil o sistema CTL segue a tendência mundial, com cerca de dois terços de toda a operação nacional.  “Esse sistema se destaca na América do Sul. Isso se deve principalmente pela capacidade de adaptação dos equipamentos às condições do terreno e, claro, a maior competitividade da operação e o menor impacto ao meio ambiente.”, destaca o diretor da Ponsse Latin America, Fernando Campos.

 

Sustentabilidade

Com apenas duas máquinas altamente tecnológicas - um Harvester, que abate, desgalha, processa, mede e traça a madeira ainda na floresta, e um Forwarder, que coleta as toras e leva até a lateral da estrada ou a um pátio intermediário - , cumpre as três premissas de sustentabilidade, sendo economicamente viável, ambientalmente correto e ainda, sem descuidar o fator humano, com ergonomia e segurança para os operadores.

Como o processamento é feito dentro da floresta, o Harvester deixa as folhas, galhos e casca no solo, esses resíduos são ricos em nutrientes e permanecem no solo para a próxima rotação, gerando economia de fertilizantes. Além disso, as máquinas possuem o centro de gravidade baixo, o que as deixam extremamente estáveis. Elas são projetadas para a distribuição ideal do peso da máquina e carga. Para se ter ideia, a pressão superficial criada por uma máquina CTL equipada corretamente é similar a de uma pegada humana.

O operador é um componente muito importante para alcançar melhor produtividade e qualidade de trabalho. As máquinas CTL são muito confortáveis e ergonômicas para operar, mantendo o operador atualizado e concentrado durante as horas de trabalho.

Com menor quantidade de equipamentos operando, a gestão da operação fica mais fácil e por trabalharem de forma independente, a parada repentina de um harvester não atrapalha o andamento do forwarder, por exemplo. A produção é otimizada e a produtividade é maior.


 

Para saber mais sobre o sistema CTL consulte o e-book completo sobre o tema em:

http://ponsse.materialbank.net/NiboWEB/p/scpc/16955288/34264/en